De Bem Com Seu Corpo.

Muitas vezes a insatisfação com a própria imagem gera insegurança e cria um problemão. Veja dicas para sentir-se melhor com você mesma.

A insatisfação corporal é generalizada nos dias de hoje; Se a pergunta “Mudaria algo no seu corpo?” fosse lançada, quase certeza que todas as mulheres diriam que sim. Sempre tem algo que incomoda a gente e que queremos mudar. No entanto, esse desejo sempre é real e o pode gerar problemas de ordem psicológica. Tenso, né?

Existem vários motivos para essa insatisfação e o principal deles é a pressão externa. Sabe aquela influência básica que recebemos por meio da TV, cinema, mídias sociais e tantas outras ferramentas de comunicação? “A comparação é quase que inevitável com as imagens que recebemos diariamente. Soma-se a isso problemas de autoestima e boom, eis um problemão”, explica Priscilla Leitner, psicóloga pesquisadora em compulsão alimentar do Instituto de Pesquisa do Comportamento Alimentar de Curitiba (IPCAC). “Existe a busca pela saúde e qualidade de vida, pois isso é muito importante. Mas estamos falando de algo mais subjetivo, uma imagem corporal que não é aceita pela pessoa,” completa.

Existe um universo de biótipos, principalmente aqui no Brasil, onde a mistura genética garante diferentes tipos de corpos. “Pos isso, é preciso entender que o corpo desejado, às vezes, é algo impossível de se chegar. Quando é preciso esforços nutricionais, alimentares, físicos, cirúrgicos e emocionais para manter ou chegar a um tipo de corpo, pode-se dizer que aquele não é o corpo da pessoa,” explica. “Vejo uma onda de pessoas na mídia, redes sociais trazendo essa ideia de aceitação do próprio corpo – é o lado oposto de toda essa padronização existente. A questão de não aceitar o próprio corpo é uma tarefa difícil, emocionalmente falando. Requer um esforço muito grande psíquico para rejeitar o próprio corpo. Então, não se trata também de algo muito simples a questão da aceitação,” alerta.

10 Dicas para aprender a lidar melhor com o próprio corpo:

  • Evite ficar falando de forma crítica de si mesma.
  • Questione os motivos da indústria das dietas.
  • Aprecie o seu corpo e busca uma forma melhor de lidar com ele.
  • Aprenda a lidar com o seu metabolismo de uma forma suave e leve.
  • Aprecie a diferença e evite pensar que o corpo apresentado pela mídia é o ideal.
  • Lide com suas próprias emoções.
  • Entenda que a não aceitação do corpo pode ser uma não aceitação de si mesma.
  • Valorize coisas que você gosta em você mesma.
  • Busque a verdade com aquilo que pode ser alcançado, por meio de metas reais, para ter a coragem de buscar esse corpo.
  • Evite ficar obsessiva com o peso.

 

Matéria publicada na Revista VIVER Curitiba.