O papel do psicólogo no tratamento da obesidade infantil.

A Psicologia é grande aliada no combate às obesidades, ela possibilita novas perspectivas na elaboração e percepção do mundo interior, na medida que leva em conta os multifatores, como os biológicos, familiares, sociais e as dificuldades subjetivas que contribuem para o ganho de peso. 

O psicólogo clínico, tem vasta atuação no atendimento à crianças, adolescentes e adultos, para cada faixa etária existem diferentes formas de intervenções que podem ser em grupo ou individualmente. 

Aplicamos a técnica psicoterápica ou a Ludoterapia no atendimento à criança, é uma prática que faz uso de brincadeiras, brinquedos, jogos, histórias, desenhos. É através do brincar que a criança estabelece o contato com seu mundo interior, representando e evidenciando seus conflitos e situações que dificilmente expressaria falando.

O primeiro contato se faz pela a entrevista com os pais ou somente com a mãe, o objetivo da entrevista é o de falar sobre a criança e de sua relação com ela, é pela entrevista que se extrai dados importantes sobre a criança, como o motivo da consulta, a história da criança, seu dia-dia, e sua relação familiar. As descrições detalhadas do dia-dia da criança norteiam sobre as experiências básicas de dependência e independência, liberdade ou imposições externas, equilíbrio ou instabilidade das regras de educação.

Como o nosso objetivo é discorrer sobre o tratamento da criança com excesso de peso é imprescindível que aprofundemos sobre os hábitos alimentares da família e do infante, visto que os distúrbios ligados à obesidade, como a ansiedade, sentimento de tristeza, irritabilidade, agressividade e mudanças de comportamentos, podem interferir na vida da criança, prejudicando seu rendimento escolar e seu relacionamento familiar e social. 

Nos atendimentos clínicos se estabelece formas para que a criança aprenda a enfrentar e descobrir quais as situações que a estão prejudicando, produzindo um conhecimento para lidar positivamente com essas questões do seu corpo e sua autoimagem, desenvolvendo sua autoestima e seu autoconceito.

Entendemos que a obesidade não é constituída apenas por um único fator, mas por vários aspectos: os emocionais, o sedentarismo, os padrões alimentares, problemas genéticos e distúrbios hormonais.  

Sabemos que o tratamento da obesidade em crianças é árduo, é necessário que os pais participem ativamente de todas as mudanças incluindo a alimentação, motivando nas atividades físicas e elogiando a cada conquista da criança, isto é para obtermos resultados satisfatórios na redução do peso os pais devem colaborar para o estabelecimento de bons hábitos alimentares e no novo estilo de vida da criança. Essas mudanças não acontecem rapidamente, exigem paciência e um acompanhamento constante e sistemático por parte do psicólogo e dos pais.

Contudo, o resultado positivo do tratamento se dá pela participação e o interesse dos pais, mas principalmente da mãe que possui um papel fundamental no cotidiano da criança, é no âmbito familiar que se estabelece os padrões alimentares, consequentemente a família é primordial.

Em nossa experiência clínica, o tratamento da obesidade principalmente na infância e na adolescência deve ser realizado por uma equipe interdisciplinar, psicólogo, nutricionista, o endocrinologista e o educador físico, é preciso oferecer programas que incluam dieta alimentar não restritiva, acompanhamento médico, reeducação nutricional, exercícios físicos. 

Cuidar da obesidade na infância é muito importante, pois os hábitos alimentares e o estilo de vida são mais fáceis de converter nessa fase da vida, a prevenção é o melhor caminho.

 

Texto da psicóloga Mileny Violante.