Alimentação Vegetariana.

A popularização da dieta vegetariana vem crescendo nos últimos anos, contando principalmente com a força das mídias sociais e o crescimento de restaurantes e empórios especializados em produtos que não utilizam matéria prima animal, o vegetarianismo vem pouco a pouco ganhando a simpatia de muitas pessoas. Porém, o fato é que muitas vezes as informações se confundem e na mesma medida em que ouvimos opiniões positivas sobre o vegetarianismo, tantas outras informações nos levam a crer o contrário. Afinal, o que é o vegetarianismo?

O vegetarianismo é um modelo alimentar que em geral exclui totalmente o consumo de carne animal quer seja bovina, suína, de aves ou peixes. Porém o consumo ou não de seus subprodutos e derivados como; leite, ovos, iogurte, queijos, pode variar de acordo com o tipo de vegetarianismo adotado. A dieta ovolactovegetariana, por exemplo, aceita o uso de ovos, leite e seus derivados, enquanto o veganismo perpassa o contexto alimentar e exclui o consumo de subprodutos como roupas e acessórios de couro animal e até mesmo cosméticos e outras substâncias que tenham sido submetidas a testes em animais.

A dieta vegetariana apresenta uma certa complexidade pelo fato de que é influenciada não apenas por uma questão de gostar ou não do sabor da carne, na maioria dos casos existe ainda uma motivação filosófica que norteia a exclusão da carne da alimentação, as principais são:

  • Questões éticas: em respeito à vida animal.
  • Motivações Religiosas: algumas religiões incentivam o abandono da carne como uma forma de melhorar a saúde e espiritualidade.
  • Questões de Saúde: estudos relacionam o vegetarianismo com uma maior longevidade.
  • Questões Ambientais e de Sustentabilidade: a produção de carne em larga escala tem sido relacionada com o aumento da emissão de gases poluentes, bem como ao dispendioso gasto de água e solos devido ao pasto e plantio da soja destinada à produção de ração animal.

Diante de toda essa diversidade que o vegetarianismo carrega é inevitável questionar o valor nutricional da dieta vegetariana, afinal de contas, culturalmente falando o consumo da carne está fortemente inserido na tradição familiar, independente da classe social. Porém é preciso cautela para entender que apesar de todas as controvérsias que cercam esse modelo alimentar é possível dizer que o vegetarianismo é uma dieta segura para todas as fases da vida.

Ao optar por excluir o consumo de carnes é necessário estar ciente que devem ser feitas as substituições equivalentes principalmente em relação as proteínas. As proteínas de origem vegetal podem ser utilizadas pelo nosso corpo tão eficientemente quanto as proteínas de origem animal, porém será necessário consumir uma maior variedade de vegetais, leguminosas e oleaginosas para garantir a ingestão de aminoácidos essenciais. Veja, uma maior variedade não significa uma maior quantidade! Não é necessário comer grandes quantidades de alimentos fontes de proteína pra suprir o que  a carne forneceria, mas é necessário atenção assim como em qualquer modelo alimentar adotado.

Desta forma, é aconselhável manter o acompanhamento de um profissional de saúde especializado e que respeite as orientações éticas e filosóficas do paciente a fim de favorecer uma dieta nutricionalmente segura, prazerosa e saudável.

 

Texto da Nutricionista Dra Êmellie Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *