Quero emagrecer! A nutrição comportamental é pra mim?

Com que frequência você costuma se pesar?

Muito se discute se o peso corporal é uma variável para determinar presença (ou não) de saúde. Ao que tudo indica, não há uma correlação direta entre magreza e saúde, ao passo que excesso de peso e doença, também não. Seu peso corporal não mensura suas capacidades, sua inteligência, seu caráter ético e moral, suas preferências, sua essência, suas qualidades e nem seus defeitos. Olhando por um contexto observacional técnico, seu peso corporal apenas define seu Índice de Massa Corporal (IMC).

Entretanto, seu peso tem muito a lhe dizer. Ele é um indicador da sua trajetória vivida até o momento e como você vivenciou sua relação com o seu corpo e a comida até aqui.

Com que frequência você se pesa? Note como despercebidamente você tenta ter o falso controle do seu peso, na expectativa que (apenas) fatores simples como alimentação e atividade física ajustem o número da balança (geralmente para baixo). Você tem facilidade para ganhar peso? Pergunte-se se o seu metabolismo ainda é o mesmo de alguns anos atrás, e todas as experiências que você vivenciou desde então. Houveram modificações nos seus hábitos? Qual a história por trás de cada um deles?

Tem dificuldade em diminuí-lo? Antes de pensar que você falhou e desapontou a expectativa de alguém, pense o que isso pode significar. Será que você tem dormido de forma adequada? Você está dando conta das suas responsabilidades diárias? Pergunte-se se há fardos que você tem que carregar nos ombros que podem estar resultando no aumento da balança; Que palavras não ditas te fazem sentir um vazio dentro de si que parecem só ser preenchidos com a comida; Ou quantas obrigações que não são suas você está assumindo e carregando dentro de si até sentir necessidade de despejá-las para fora. O que você está tentando controlar para além das calorias que ingere ou deixa de ingerir?

Seu peso não diz muito sobre quem você é hoje, mas pode ser determinante para dizer quem você foi até então. Lembre-se que você não precisa passar por isso sozinh@ e que pedir ajuda é sinal de força, não fraqueza.

Não é errado querer emagrecer. Mas antes disso muitas questões devem ser observadas e discutidas, de forma gentil e de preferência por uma equipe responsável e capacitada (multidisciplinar e especializada). Bem como entender como é sua relação com a comida e com o seu corpo e como você quer que seja. Ainda, que ter o entendimento consciente dessas e muitas outras questões demanda certo tempo; que reconstruir o que te foi imposto até então não será feito da noite para o dia, mas que é possível sim. Com a vantagem de adquirir uma experiência pessoal mais leve a partir de então.

Se esse for seu objetivo, sem dúvidas a nutrição comportamental é para você, e por sorte ou destino, o IPCAC conta com profissionais aptos para tal em sua equipe.

Por Cassia Helena B J Maia – Nutricionista Comportamental

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *